0

Emprego do tempo

Nas últimas semanas eu não tive tempo. Aliás, tive tanto tempo que fiz de tudo para esgotá-lo e, na matemática final, não sobrou nenhum. Muitos cálculos desse tipo não fazem sentido. Um [...]

1

Tempos de vacas magras e burgers gourmet

Mais um ano novo chega, em tempos de vacas magras. As vacas berram: seu leite, tão pasteurizado-acidulado-intoxicado-geneticamente-modificado, já não serve para os novilhos, que [...]

0

Petichismo (não confundir com petechismo)

Eu adoro animais: são curiosos, exóticos; têm uma maneira peculiar de ser, andar e se comunicar. Também adoro animais domésticos; sempre tive. Cheguei a ter aquário, calopsitas, hamsters, dois [...]

0

O futuro nos engoliu (e não vai cuspir de volta)

Sabe aqueles filmes e livros de ficção científica, que a gente chama de ficção, mas morre de medo que se tornem científicos? 1984, Matrix, 2001 Uma Odisséia no Espaço? Já passamos de longe as [...]

1

Pré-fascistas vs. Pós-fascistas (Choques Culturais 5)

– Atenção: contém escatologias políticas – Cheguei na Alemanha em 2006; pouquíssimo tempo após a queda de Hitler e do muro de Berlim. Era o ano da copa do mundo nesse país que, alguns [...]

0

The day I stopped dating apps

It’s been one year since I quit my addiction. I still remember it quite well: in a dream, I screamed desperately “I cannot stand Tinder anymore!”. Immediately after I woke up, I broke up with [...]

1

O dia em que parei de paquerar apps

Faz um ano que larguei meu vício. Ainda me lembro bem: em um sonho, eu gritava desesperadamente “eu não aguento mais o Tinder!”. Assim que acordei, terminei com ele. Devo também confessar minha [...]

0

Hedonistas vs. Monges (Choques Culturais 4)  

O Brasil é o paraíso do prazer. E quem lá vive, via de regra, desfruta disso: bronzear-se ao sol, banhar-se em mar azul, passar a tarde inteira comendo um bom churrasco ou feijoada, tocar em uma [...]

0

Quando ele volta?  

Entre esperança, expectativa e ilusão há grandes diferenças. Eu não sei quais são; o Google não colaborou com minha busca. Queria mesmo saber se, e quando, ele volta. Na falta de vidência, queria [...]

0

Do fardo da cruz ao fado da criação

Jesus pendurado na cruz foi uma jogada de marketing genial. Deus sabia o que fazia, ainda mais quando pintou a pele de seu filho árabe de branco e seus olhos de azul. Nenhuma outra marca [...]