Vão

 In poesia

Sou múltipla,

Nada me é plástico;

Tão somente sangue,

Entranha-verdade:

Verdadeira estranha.

 

Sobrevoando esquinas

De vozes esquivas

Que, vis, esquecem

Aonde é que vão:

Vão.

Ou voo.

Recommended Posts
Comments
  • Perla
    Responder

    To passada…carne assada. To de quatro…34!! Sem imunidades…estranhas verdades. C’est tout

Leave a Reply / Deixe seu Comentário

%d bloggers like this: