Sentidos

 In poetry

Não ouso inventar sentidos,
Nem inverter os disponíveis
Ou gastar os por aí surgidos:
Nego-me a entorpecê-los,
A entortar seus sistemas,
A fingir que os desconheço,
Como se surgissem da cabeça,
Pois derretem desses dias,
Dessas línguas, dessas gírias,
Lenga-lenga dessa gente
Que labora a própria lábia.

Recent Posts

Leave a Reply / Deixe seu Comentário

%d bloggers like this: