Varal

 In poesia

Enquanto dormia,

Rasgaram-me o peito;

Roubaram meu piano.

Penduraram sua cauda

Em varal sem plateia.

Depois de um só Lied,

Abandonaram-no ali,

Sem nota de adeus,

Nem sons de Amadeus.

Sem mãos a tocá-lo

Bem alto e agudo,

Silenciou-se ao sol,

Tão só, tão lá,

Suspenso de si,

Suspense sem dó.

 

 


Poema vencedor do VII Concurso de Poesias Roberto Tonellotti

 

Recommended Posts

Leave a Reply / Deixe seu Comentário

%d bloggers like this: